SEJA BEM-VINDO

Se você está acessando meu blog é porque quer informação, e principalmente sobre Bento Gonçalves. Então seja bem-vindo e desfrute das informações que você só encontrará aqui.







Pesquisar este blog

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

REVELAÇÕES

Sugiro aos leitores deste blog, para quem ainda não teve a oportunidade, a leitura da entrevista do Promotor Público Alécio Nogueira ao Jornal Semanário desta última sexta-feira (12/1). Ela é reveladora, muito reveladora e, sob certo aspecto, preocupante no que diz respeito ao que certas pessoas estão dispostas a fazer no poder, pelo poder e com o poder.  Mas para os que leram e não se deram conta, aos que não leram e  não vão ler, ou aos que ainda vão ler, sugiro observarem e gravarem as seguintes passagens que revelam apenas um pouco dos motivos pelos quais a cidade foi levada a este caos financeiro, moral e ético pela administração petista de Lunelli e, por outro lado, revela um lado perverso dos bastidores por parte de alguns que acham que o estado democrático e de direito só serve para alguns e que, assim, quando se sentem desprotegidos contra investigações, se dão o direito de mexer com poderes ocultos num jogo de tudo pode. Pois pelo menos para mim é o que revela as seguintes passagens do que é dito e do que atribuído ao Promotor como por ele dito naquela reportagem, para quem a cidade toda (a não ser os atingidos, é claro) deve render a devida homenagem e reconhecimento pela defesa do dinheiro público e da probidade pública:

1) "Ele conta ainda que os auditores do TCE permaneceram 30 dias na cidade analisando os números e afirmaram nunca ter visto nada igual em termos de falta de organização e má gestão do dinheiro ´público em 20 anos de trabalho no Tribunal";

2) "Nogueira revela que houve resistência na apuração de documentos justamente pelo período eleitoral e também, a suspeita da intenção da administração em adiar a divulgação do escândalo";

3) "O negativo foi a superexposição do profissional [dele, Promotor Alécio] diante da extensa demanda dos últimos dois anos, incluindo uma tentantiva de afastamento da Comarca, o que não fz sentido, pois o Promotor de Justiça tem inamovibilidade".

sábado, 12 de janeiro de 2013

SOBRE A LOUCURA

A cidade de Projetolândia recebeu a visita de um homem que se dizia um experiente representante do povo. Estava ali para fazer uma surpresa ao mandatário daquela que era tida e havida, entre os seus, como a cidade dos feitos maravilhosos. Logo ao chegar no prédio aonde se dizia que era administrada Projetolândia, identificou-se como membro da deputança. Foi recebido por um homem, postado à porta principal, que identificando-se como recepcionista, foi logo perguntando o que ele queria. Ao ouvir a resposta, o recepcionista disse prontamente que era para o outro segui-lo que o levaria aonde queria. Depois de darem alguns passos, logo foram interrompidos por um outro se dizendo o vigia. Pegando o recepcionista pelo braço, disse: “desculpe nobre visitante, mas esse homem é louco, ele vive dizendo que é o recepcionista daqui. Ignore-o e, por favor, me siga”. O visitante deu alguns passos com o vigia e logo em seguida foram parados por um outro sujeito, de jaleco branco, que se disse enfermeiro e estava ali para levar o dito vigia: “desculpe senhor, disse o enfermeiro, mas este indivíduo vive se passando por vigia, mas ele na verdade é um louco que não sai daqui, mas fique tranquilo, eu já lhe conduzo ao seu destino”. A autoridade visitante aguardou ali mesmo até que o enfermeiro voltasse. “Pronto, disse à autoridade, me siga”.  Logo em seguida bateu numa porta  que foi aberta por uma moça. Ela olhou para os dois homens, se disse  assessora, deu as boas vindas e perguntou do que se tratava. A autoridade visitante foi logo dizendo que estava ali para visitar o Prefeito e cumprimentá-lo por seus feitos administrativos. A moça, sorridente, disse muito simpática para ele entrar e acomodar-se no sofá, enquanto, olhando para o outro, disse: “o que tu estás fazendo aqui de novo seu louco, vai embora”. Depois de alguns minutos a moça disse para a autoridade que ele podia acompanhá-la. Saíram daquela sala e se dirigiram por um corredor até uma outra. A moça bateu na porta, que foi imediatamente aberta. Ao ser aberta a porta, um homem sorridente, falante e com os olhos esbugalhados foi logo dizendo bem alto: “meu amigo deputado, que prazer te ver por aqui, vai entrando”. E olhando para a moça fulminou: “mas tu de novo por aqui, eu já não te disse que teu lugar é no hospício?” A porta foi fechada. Algum tempo depois os dois amigos saíram da sala. Do lado de fora lhes esperava o recepcionista, o vigia, o enfermeiro e a assessora. Saíram todos juntos, sorrindo e em festa, pelo corredor rumo à saída do prédio. Chegando lá fora, foram recebidos por populares que gritavam enfurecidos, vaiavam, empunhavam cartazes com frases de protesto, mostravam os bolsos vazios, contas a receber, feridas abertas a espera de curativo, e muito mais mazelas. O tumulto era generalizado. Um homem com um microfone correu em direção à comitiva que saída do prédio, e, dirigindo-se ao que se apresentara como deputado perguntou: “o que o senhor está achando de tudo isso?”, ao que, prontamente, respondeu: “quero dizer ao povo de Projetolândia que estou muito impressionado com o ótimo trabalho do meu amigo Prefeito e toda sua equipe; posso garantir e ser testemunha que esta cidade tem um bom administrador, por quem coloco a minha mão, que não é mecânica, no fogo, e que, inclusive, chora de tão emocionado toda vez que fala comigo”. Ouvindo isso, o homem do microfone se arriscou a mais uma pergunta: “mas nobre autoridade, e o que o senhor tem a dizer então para todas estas pessoas que foram caloteadas e que não recebem os serviços e obras porque a cidade está quebrada?”. A autoridade olhou para o rapaz do microfone, olhou para a multidão e, por último passou os olhos pelo grupo sorridente que lhe acompanhava, e disse: “meu amigo, eu acho que tu e todos os outros são loucos”.

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

MÃO NO FOGO QUEIMA, DEPUTADO

O Deputado Federal petista Henrique Fontana esteve ontem (10/1) dando uma entrevista para a Rádio Viva. Questionado sobre a administração Lunelli, o mesmo fez duas afirmações: 1) que coloca sua mão no fogo por Lunelli; 2) que Lunelli é um bom administrador. Que o Deputado queira colocar a mão no fogo por Lunelli ou qualquer outro petista é problema dele, já que quem vai sair queimado não somos nós. Até porque, para quem faz parte do time que defende e coloca a mão no fogo por José Dirceu, José Genuino, Delúbio Soares e Cia, uma queimadinha a mais ou menos nos dedinhos não é nada. Mas dizer que Lunelli é um "bom administrador" assusta. E em primeiro lugar assusta porque parece que a afirmação é um deboche com uma cidade que viu o Prefeito Lunelli deixar a administração com um rombo de R$ 51 milhões e um roubo já admitido de mais de R$ 300 mil, entre cujas dívidas, como apenas o Sr. Deputado Fontana parece não saber, levou ao colapso no atendimento da saúde, ao corte de serviços, ao não recebimento de salários (até hoje) no mínimo durante os seis últimos meses de governo, e tudo o mais que não preciso repetir aqui. E em segundo lugar assusta porque é triste, decepcionante e lamentável saber que um deputado federal, mesmo que petista e companheiro do Prefeito Lunelli, considere uma administração caótica e desastrosa, que terminou com a crise financeira e moral que terminou, como se fosse fruto do trabalho de um "bom administrador", que simplesmente teria sido "induzido a erro". É fácil de entender, ainda mais ouvindo este tipo de manifestação, por que alguns deputados e administradores, viciados com as práticas vindas de Brasília, insistem em defender companheiros pela simples missão de defender, independente do que tenham feito e como tenham feito. E deve ser exatamente por isso que a política não é depurada. A cidade está despedaçada, injuriada e quebrada apenas com 4 anos de governo petista-lunelinista, mesmo tendo Lunelli recebido a cidade financeiramente bem, mas, apesar disso tudo, Henrique Fontana, o grande amigo, companheiro e agora escudeiro de Lunelli, acha que este é um bom gestor público. Estou certo de que aquele deputado logo logo vai sentir as mãos queimando, mas, é claro, também sei, que isso não significará nada, já que para o dito deputado Lunelli, apesar de tudo, é um "bom administrador". Imagina se fosse ruim!

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

CORREÇÃO E INFORMAÇÃO

Na postagem que fiz aqui ontem sob o título "Enquanto isso...lá em Pinto Bandeira", escrevi que o salário do Prefeito de Bento Gonçalves seria de R$ 10.500,00. Aqui vai a correção para dizer que, na verdade, a partir deste mês, o salário do novo Prefeito será de R$ 16.190,60. Mas, é claro, que isso não muda o contexto daquela postagem que foi exatamente chamar atenção para a afoiteza salarial para Prefeito de Pinto Bandeira que, convenhamos, é um absurdo ser de R$ 13.500.00. Aliás, aproveito esta postagem corretiva em relação ao real salário do Prefeito de Bento para listar, para quem não sabe, quais os salários que receberão nossos representantes a partir deste mesmo de janeiro/2012:
Prefeito: R$ 16.190,60
Vice-Prefeito: R$ 11.333,42
Secretários Municipais: R$ 8.095,33
Vereadores: R$ 8.095,33
Presidente da Câmara de Vereadores: R$ 11.333,42

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

ENQUANTO ISSO...EM PINTO BANDEIRA

Começa muito mal, a não ser para alguns, o novo município (por enquanto!) de Pinto Bandeira. E começa mal pela evidente afoiteza remuneratória dos novos políticos-administradores locais. E começa mal ao se saber que a Câmara de Vereadores já começou fixando altos salários aos agentes políticos-administrativos. é de pasmar saber que o Prefeito de Pinto Bandeira vai ganhar R$ 13.500,00 mensais, enquanto seus Secretários R$ 5.500,00. Para sua comparação: o Prefeito de Bento Gonçaleves vai ganhar R$ 10.500,00 e o Prefeito de Monte Belo do Sul (depois de 20 anos de emancipação) vai ganhar R$ 7.000,00 mensais. Ou seja, o mandatário no novíssimo município, que conta com 2.290 eleitores e cuja população, portanto, não passa muito disso, vai ganhar praticamente o dobro do que o Prefeito de Monte Belo do Sul e praticamente 30% a mais do que o Prefeito de Bento. Não precisaria mostrar mais do que isso para se ver o tamanho da afoiteza e quase surreal absurdo naquela fixação salarial. E depois tem gente iludida que quer que os conscientes sejam a favor de emancipações como esta de Pinto Bandeira. Se começou assim...

COMEÇANDO MAL, MUITO MAL

Começou mal o Vereador Moacir Camerini. Já na primeira sessão, realizada nesta segunda-feira para aumentar os cargos de confiança do legislativo (contra o qual parece que ele não tinha nada a opor), não perdeu tempo aquele novo edial da cidade para criticar o novo governo municipal. Em crítica pontual e fora de propósito, sabendo que o Executivo acabara de anunciar a suspensão do pagamento dos débitos em atraso (R$ 51 milhões) pelo prazo de 180 dias, saiu-se com essa: "se eles tivessem reelegido o prefeito Lunelli pagariam em 45 dias". Minha Nossa Senhora, pelo amor de Deus, o que é isso? O governo daquele agora Vereador deixou a dívida impagável (tanto que seu Prefeito não pagou), tem gente que até hoje não recebeu salário e rescisão contratual porque seu Prefeito não depositou os valores (e não preciso dizer tudo o mais), e o edil petista vai à tribuna, na sua primeira manifestação, dizer uma coisa dessas?  Lamentável. Pelo jeito vai faltar chá de cefrafol para alguns novos membros do legislativo municipal. E, sem dúvida, por isso, vamos nos divertir muito nos próximos meses.

SUSPENSÃO DE PAGAMENTOS

Começa bem o Governo Pasin ao decretar a suspensão do pagamentos de todos os débitos remanescentes (R$ 51 milhões) até 31/12/12. E isso porque não se trata apenas de querer agir assim, mas ter que agir assim. E isso simplesmente porque: primeiro, não há dinheiro para pagar tais dívidas sem comprometer e entrar em colapso o serviço público municial (não custa lembrar que tais débitos em atraso e deixados para a nova administração pagar somam praticamente dois meses de receita); segundo, porque não há dúvidas de que muitos dos créditos deixados para trás sem pagamento pela antiga administração petista deverão passar por uma análise ricorosa para se saber se os serviços/obras relacionados aos credores foram feitos, se tinha ou não aditivo contratual e eram necessários e se os valores das contratações não estavam superfaturados. Portanto, o Prefeito Pasin tomou uma atitude corajosa e responsável, visando os interesses dos cofres públicos e os interesses da cidade. Deus queira que depois de 180 dias,  período inicial decretado como suspensão dos pagamentos, a questão das finanças-pagamentos já estejam equacionadas, o que, convenhamos, pelo tamanho do rombo, parece muito difícil. E, principalmente, que dentro deste período, o Prefeito Pasin já possa, pelo menos, começar a fazer alguns pagamentos desta herança maldita, o que também não será nada fácil.

R$ 51.220.000,00

Está anunciado o rombo apurado (mas ainda não definitivo, podendo ser maior) até 31/12/12, deixado pela administração petista. As contas chegam até agora em R$ 51.220.000,00 enquanto que o valor livre disponível de recursos para pagamento das mesmas, na mesma data, é de R$ 1.200.000,00. Portanto, R$ 50.020.000,00 a descoberto. Não bastasse isso, centenas e centenas de processos administrativos estão e devem estar em andamento para o Município apurar por que, afinal, tem tanta gente (empresas) querendo cobrar por fornecimento de produtos ou serviços sem que houvesse a devida contratação e empenho: esculhambação?, vigarice?, desvio?. Isso é que se chama "quebrar" o município e é por isso mesmo, para os que ainda querem manter dúvidas sobre tudo o que ocorreu, que inclusive muitas verbas alimentares-trabalhistas não foram saldadas pelo governo que deixa o município nesta situação calamitosa. Não se esqueçam disso.