SEJA BEM-VINDO

Se você está acessando meu blog é porque quer informação, e principalmente sobre Bento Gonçalves. Então seja bem-vindo e desfrute das informações que você só encontrará aqui.







Pesquisar este blog

quinta-feira, 30 de junho de 2011

QUESTIONAMENTOS DE UM CIDADÃO

Recebi um e-mail de um leitor deste blog e compartilho com todos aqueles que têm interesse pelos assuntos da cidade. Acho que como outras mensagens e questionamentos que recebi e compartilhei esta fala por si e cabe a cada um ver até aonde pode conseguir encontrar respostas, dar respostas e até mesmo fazer mais questionamentos sobre assunto tão importante, caro e de difícil compreensão pelo modo como está sendo conduzido, no que, digo desde já, concordo com o missivista, cuja identidade não posso dar aqui, como se sabe, pelos motivos óbvios que outros tantos episódios têm revelado na cidade.

"Bom Dia meu caro dr. Adroaldo!!
Não pude deixar de reparar que, na sessão legislativa de segunda feira passada, dia 27/06, se não fosse um pedido de vistas do Vereador Élvio de Lima, teria sido aprovado um crédito de 1,5 milhão de reais para aquisição do lago da Fasolo!!
Oras??? Ou eu estou louco, ou o prefeito está louco!!! Pois vejamos as seguintes perguntas:

1. Quem pagaria 1,5 milhão de reais por uma área de 15.000m², quase toda ela formada por um lago???
2. Sabendo que se trata de uma APP (área de preservação permanente), e, assim sendo, nada pode ser feito no seu entorno, então pra que comprar uma área deste porte?
3. Você, assim como eu, cidadão bentogonçalvense, acharia melhor investir 1,5 milhão em um lago poluído, que não serve pre nada, ou em saúde, educação, pavimentação, infraestrutura, etc... Será que o pessoal da Vila do Sapo, da Vila dos Eucaliptos, divinéia, ou outras vilas não achariam melhor ter 1,5 milhão investidos nas suas vilas com infra estrutura???
4. E a pergunta principal... Você, em sã consciência, compraria um lago [ou o seu entorno] poluído e por ele pagaria a bagatela de 1,5 milhão de reais (à menos que tivesse petróleo enterrado nele??)??
É uma piada, não é mesmo???"

sábado, 25 de junho de 2011

O DEVER SER DE SUA EXCELÊNCIA

Gostaria de lembrar ao Prefeito Lunelli que este ano de 2011 ainda não é o eleitoral, período em que, no momento oportuno, quando chegar, se pode fazer promessas, como bem sabe sua Excelência, por mais absurdas que possam ser. E gostaria de lembrar mais à sua Excelência o Prefeito Lunelli: se não estou enganado, seja calçamento, seja asfalto, tais obras só podem ser feitas com o dinheiro público em vias públicas, jamais no interior de propriedades privadas, seja qual for a extensão do caminho. Como eu disse, é só uma lembrança porque é óbvio que sua Excelência sabe disso, e, é claro, as consequências de isso não ser assim no plano fático. Amigo que é amigo age assim, lembra para quem pode esquecer e quando esquece como as coisas devem ser.

O PREFEITO E O CONSEPRO

O Prefeito veio a publico esta semana através de páginas de jornais para dizer que "não há justificativa para repassar dinheiro ao Consepro". Este episódio está a lembrar o Governo Olívio Dutra, período em que houve um verdadeiro ataque e tentativa de desmantelamento dos Consepros em função de que o então governo popular e democrático entendia que o Estado era o soberano e não poderia terceirizar a segurançca pública. Deu no que deu, e o que já era ruim ficou pior ainda. Tudo ficou no discurso e o sucateamento dos aparatos de segurança só aumentou por conta da infindável bucocracia e da má vontade. O que o Prefeito Lunelli está na iminência de implantar por aqui com essa sua nova e inacreditável postura é o mesmo. Se está ruim com o Consepro, com certeza ficará pior sem ele. E se o Prefeito Lunelli acha que deve tornar mais atuante o Consecom (Conselho Municipal de Segurança), o dependia unicamente dele e não fez, deve fazê-lo, o que, aliás, já deveria ter feito. No entanto, uma coisa é um Conselho, outra coisa é uma entidade com personalidade jurídica sem fins lucrativos, como é o Consepro, que por suas características pode e deve ser um canal para a destinação de recursos públicos para a área de segurança, única forma de agilizar o que não pode esperar, com bem disse o Presidente do Consepro na Câmara de Vereadores. Será que o episódio das Câmaras de vigilâncias como tantos outros não são suficientes para ver isso? Como se vê, ao contrário do que afirmava o Tiririca durante a campanha, pior do que tá, fica.

MEIA VOLTA, VOLVER! : o ataque

A agressividade e falta de respeito com que o Sec. do Meio Ambiente, Airton Minúsculi, havia tratado sua colega Procuradora Geral do Município, na reunião com membros do Conselho Municipal do Meio Ambiente, já havia chamado atenção de alguns na semana passada. Agora vem a publico a entrevista que o mesmo Secrectário dá a um jornal local, publicada na última sexta-feira, aonde ele acusa, com todas as letras, alguns membros daquele Conselho em exercício de ditadores e de politiqueiros. Estranha tal atitude, que até poder-se-ia dizer nova de tal agente político. Parece que o político, agora membro do executivo, não tem sido tão polido como era antigamente quando exercia a vereança. E, o mais engraçado, enquanto é ele que toma algumas medidas antidemocráticas, sai para o ataque, como se aqueles que com ele não concordam merecessem o rótulo de "ditadores,politiqueiros e baixos". Parece que tem muita coisa por trás da nova iniciativa do Secretário a motivar tamanho destemperamento. Até porque, segundo consta, foi ele quem conduziu mal sua pretensão de criar um "novo"(ou outro?!) Conselho, "esquecendo" de colocar coisa numa determinda ata que seria o referencial para condução do assunto. E para deixar as coisas ainda mais feias, o Secretário ainda se deu o direito de afirmar que "a manifestação destes dirigentes é lamentável e beira à baixaria". Parece que a baixaria está vindo é de outro lugar. E se alguma coisa se pudesse aproveitar de tão lamentável postura e ataque, essa talvez fosse a oportunidade, parafraseando um componente que marcou a ditadura tão lembrada de forma bisonha pelo nobre secretário, de sugerir a ele que reflita se não é hora de exercer um comando militar: meia volta, volver!

MEIA VOLTA, VOLVER! : memória fraca

Aliás, ver o Secretário acusando assim alguns de antidemocrátricos e de que ele só está agindo assim em relação a tal assunto porque ele sim seria o defensor da participação popular e da efetiva participação dos Conselhor nas deliberações de interesse público, e como resumiu, ser um "leão na defesa da participação democrática", chega parecer que aquele agente político é um dos que confia de que ninguém tem memória. Ora, foi este mesmo Secretário que meses atrás arrumou toda a confusão necessária para fazer aprovar um projeto de lei que permitiria construir moradias populares no Vale dos Vinhedos SEM A OUVIDA DO CONSELHO DISTRITAL. E quando ele e todos os demais Vereadores foram chamados atenção para este fato pelo Vereador Mário Gabardo, inclusive por escrito e comprovadamente, o que ele fez? Não deu bola para isso e lutou, concordou e levou a diante a votação e aprovação do projeto que, na época, constrangeu e envergonhou a cidade pela repercussão do assunto em nível Estadual e Nacional, o que, inclusive, fez com que o assunto fosse parar no Ministério Público e está lá até hoje. Onde será que estava o "leão defensor da participação democrática" na época? Pois é, se alguns esqueceram, outros não esquecem, e estes têm o dever de fazer os esquecidos se lembrarem para, afinal, não serem enrolados tão facilmente por discursos que refletem apenas interesses momentâneos.

sexta-feira, 24 de junho de 2011

ERRATA BEM PEQUENINHA

Na semana passada a cidade foi invadida com a publicidade ofical da Prefeitura. Em todos os jornais saiu anúncio de meia página onde foram colocadas obras que teriam sido realizadas na Saúde, Habitação, Educação e Segurança. Entre as obras na "educação", o anúncio falava de centenas de vagas em diversos bairros, entre eles, no Bairro Fátima. Agora se vê nos jornais a "errata" àquele anúncio. Claro, ele não é de meia página, é bem pequeninho (4,5 cm), como se vê da publicação hoje no Jornal Serra Nossa, em fls.07, onde se lê: "A agência de propaganda errou no anúncio da Prefeitura Municipal de Bento Gonçalves, publicado no dia 17/6/2011, no item Educação, onde inseriu o Bairro Fátima". Ou seja, ao contrário da publicidade, não houve novas vagas naquele bairro, pelo menos é o que dá para entender da errata. Quantos conseguirão se dar conta? Pela errata, muitos poucos, mas pelo que se vê pelas ruas, muitos.

terça-feira, 21 de junho de 2011

CONTRATOS, CONVÊNIOS E LICITAÇÕES de 21-6-2011

FICOU FEIO

Ficou feio para o Secretário do Meio Ambiente e Floricultura (como já é conhecida a pasta), Airton Minúsculi, ter saído de dedo em riste, batendo a porta e em tom ameaçador da reunião com a Sra. Procuradora Geral do Município e alguns integrantes do Conselho do Meio Ambiente só porque não gostou do que ouviu. Este lado do tão experiente político ainda não era conhecido. O que alguns ficaram pensando é que se o secretário se deu o direito de agir daquela maneira na frente daquelas pessoas, o que não estaria disposto a fazer nos bastidores.

DEU NO LEOUVE

O site Leouve trás notícias do encontro do Otário Participativo do bairro Pomarosa. Segundo o site, ao ouvir algumas queixas, o Secretário do Meio Ambiente (ou das Floriculturas, como dizem alguns) teria dito que "5.000 famílias moram em loteamentos invadidos". Segundo mesmo secretário, os moradores receberão "a concessão de uso da área verde e pagarão a taxa de lixo". Acho que há algum "engano". É que uma "área verde" (mesmo que ocupada) é bem diferente do que seja um "loteamento" (mesmo que invadido). Aliás, falando em engano, acho que o secretário se enganou ao afirmar que serão dadas "concessões de uso" das área verdes, se é que foi isso que disse. Lembramos que alguns gestores públicos fizeram isso no passado e se deram muito mal.

COMO ALGUNS NÃO ACREDITAM...

segunda-feira, 20 de junho de 2011

POSTO INEFICIENTE

Recebi uma ligação de um empresário de Tuyuti que não aguenta mais a omissão no atendimento do Posto do Correio da localidade. Segundo ele, a responsável abre o posto a hora que quer, fecha a hora que quer e sai de folga a hora que quer. Na semana houve o caos e nesta está anunciado, quando o Posto só iria funcionar em um breve horário da manhã, e bem no final da manhã. Com isso as pessoas físicas e jurídicas que dependem do posto para receber suas correspondência estão ficando de cabelo em pé, principalmente as empresas. O empresário foi reclamar com o Subprefeito que além de xingar o usuário ainda disse que a responsabilidade não era da Prefeitura, mas do Correio. O usuário então foi reclamar com o Correio que, através de um de seus agente, disse que a responsabilidade é da Prefeitura, e isso porque o Correio entrega um valor mensal ao Município para que mantenha as instalações e o funcionário para o Posto do Correio de cada um dos distritos. Enquanto isso, bem, enquanto isso já sabemos...que se vire o usuário, mesmo sem receber sua correspondência. Vamos ver até quando.

O SIGILO NO CONTRATO PÚBLICO

A tentativa de sigilo nas contratações para as obras da Copa do Mundo que o governo Dilma tenta fazer a sociedade engolir é não apenas inaceitável, é um ato atentatório à dignidade, à decência, à seriedade, e, portanto, a tudo que represente qualquer valor positivo de uma contuda pública em torno do dinheiro público. O pior ainda é ouvir o argumento central os defensores da medida: que assim sairá mais barato! Não deve haver uma argumento mais estúpido, para dizer o mínimo, do que este. Fosse o argumento verdadeiro, deveria o governo e o congresso revogar imediatamente toda a lei das licitações para tornar todas as comprar pública sigilosas. Fácil, muito fácil, é ver o objetivo de mais este ato atentatório aos cofres públicos.

sexta-feira, 17 de junho de 2011

CONTRATAÇÃO CONFIRMADA

Na semana passada escrevi aqui, sob o título "Mais um forasteiro: quem, como, por quê?", a respeito da informação que obtive de que uma advogada e professora de história de Caxias do Sul teria sido contratada sem licitação para assessorar a Comissão de Licitações na Secretaria da Fazenda aqui em Bento Gonçalves. Pois depois de tantos dias já trabalhados, eis que a publicação da contratação afinal ocorreu no dia de ontem. Trata-se do "Contrato de Prestação de Serviço nº 194/2011", SEM LICITAÇÃO, pelo valor de R$ 6.700,00. Como a publicação veio estranhamente desacompanhada do artigo de lei que dispensaria a licitação, fico com a informação que eu já tinha de que seria pelo "notório saber"; e como também não diz se o valor informado é mensal, fico com a óbvia impressão que é o valor é mensal. O prazo da contratação também não é informado. O nome da advogada assim contratada é a Dra. Roselaine Frigeri. Pesquisando na internet a respeito da nobre profissional se encontra, além da confirmação de ser atualmente advogada e professora de história da rede municipal de Caxias do Sul, sua forte ligação com o PT, principalmente o caxiense. Em seu curriculum se encontra ter sido Assessora de Gabinete de Marisa Formolo (ex-vice--prefeita e atual deputada pelo PT); ter contribuido financeiramente para a campanha a deputado de Ana Maria Corso, em 2002; e, mais recentemente, ter assinado, junto com um grupo de mulheres, o manifesto "A vez e a voz das mulheres no Brasil", na condição de petista de Caxias do Sul, em favor da então candidata a Presidente Dilma. Quais entre todos estes atributos levaram efetivamente à contratação ainda não se tem certeza. Só se terá quando conseguirmos a cópia de dito contrato e todo o processo administrativo que levou a tal contratação, cuja cópia estaremos requerendo na próxima segunda-feira. E caso não nos entreguem como em tantos outros pedidos, teremos que fazer o pedido judicial. Afinal, nossa comunidade tem o direito de saber o que, de fato, levou à contratação desta profissional do direito, sem licitação, por tão substancial importância, para assessorar a Secretaria de Finanças de nossa cidade, quanto mais quando, para isso, segundo consta, teria sido escanteado de suas funções um advogado concursado.

MAIS EMPRÉSTIMO: AGORA DE 113 MILHÕES

Depois de aprovar o recente empréstimo de R$ 4 milhões para o PMAT, de cujo valor nenhum valor pagará no seu governo, o Prefeito Lunelli volta de algum lugar comemorando o fato de que a Prefeitura está habilitada a pegar R$ 113 milhões de EMPRÉSTIMO. Claro, como da outra vez, para objetivos mais do que discutíveis e, é claro, como no outro, para os sucessores pagarem. Mas o pior de tudo é a forma como se pretende vender a idéia e se pretende omitir o verdadeiro custo do financiamento, querendo dar a impressão que o dinheiro vem de forma mágica e milagrosa. E, ainda pior, é mais uma vez o Executivo colocando a carroça na frente dos bois em mais uma demonstração de mando e/ou desprezo com a casa legislativa, já que, em entrevista bombástica, alardeia que "a liberação" do dinheiro já teria sido confirmada, quando, antes de qualquer "liberação" de dinheiro de empréstimo ao município, como se sabe, é preciso a autorização legislativa, ou seja, da Câmara de Vereadores, o que ainda não aconteceu. Definitivamente a prioridade da atual administração é anunciar mais uma vez algo que não ainda não fez e arrumar dinheiro para gastar, não importando aonde e quanto custe, importando apenas que não sejam os atuais gestores os responsáveis pelo pagamento da conta. Por que será que nunca antes na história desta cidade nenhum outro administrador se aventurou tanto em pegar volumosos empréstimos bancários e endividar o município?

ESQUIZOFRENIA

Como são tragicômicas e surreais alguns comportamentos. Leio no jornal gazeta de hoje, sexta-feira (17/6), na página 5, que a Câmara de Vereadores se reunirá no dia de amanhã, sábado, para analisar dois projetos de lei, sendo que um deles é sobre a CRIAÇÃO da Escola de Gestão Pública municipal. Aí vou até a página 7, onde se lê uma entrevista com a Sra. Secretária da Administração e de Governo, Eliana Passarin, onde ela revela que, na próxima segunda-feira, 20/6, proferida a "AULA INAUGURAL da Escola de Gestão Pública". Pois alguém deve estar enlouquecendo. Mas como é que vai ser dada a aula inaugural da Escola de Gestão Pública se a escola, na segunda-feira, ainda NÃO EXISTIRÁ LEGAL E JURIDICAMENTE? Ora, mesmo que a Prefeitura, como se vê, tivesse contratado a professora e marcado a aula inaugural contando com a aprovação do projeto de criação desta discutível "Escola de Gestão Pública" a tempo, e mesmo que tente esta (já contada, como se vê, como certa) aprovação do projeto num sábado (o que bem demonstra a bisonhisse da postura), mesmo assim, na segunda-feira, ainda não existirá legalmente tal Escola e, portanto, ela não pode ser inagurada, muito menos gerando despesa para tanto. E isso porque, mesmo que o projeto seja aprovado pelos Vereadores (do que o Executivo, como se vê, não tem dúvida), ainda faltará a sanção do Prefeito e a devida publicação para que e existência legal da Escola se opere. Além da óbvia trapalhada, lamento que fique tão claro o quanto as coisas estejam sendo costuradas e acertadas nos bastidores. Afinal, é o que o anúncio, mesmo que tecnicamente ilegal, da aula inaugural, revela.

CONSTATAÇÃO

Lendo os últimos três comentários de ANÔNIMOS neste blog, facilmente se percebe de onde vem o qual seu objetivo: atacar gratuitamente a mim, Adroaldo Dal Mass. São comentários de uma obviedade ululante em sua triangulação para este simpes e mesquinho fim. Para mim seria muito fácil apagar tais comentários de onde estão. Mas, é claro, não farei isso. E por um simples motivo. Para quem quer se enforcar o que se faz é dar mais corda. E vocês, queridos "anônimos" com este triste e interesseiro objetivo, que já se sentem pressionados pelo relógio-calendário que começou a contagem regressiva para o desmoronamento do castelinho em que se meteram para reinar temporaria e corruptamente, e por isso, e só por isso, já se sentem angustiados e passam a agir assim, aproveitem. Façam mais pesquisas pagas com dinheiro público para se enganar; façam mais empréstimos para os outros pagarem; façam mais despesas fora da lei; façam mais uso dos cartões de abastecimento; e tudo o mais. Logo logo vocês saberão as consequências de tudo isso.

quarta-feira, 15 de junho de 2011

O SISTEMA DE VIGILÂNCIA: uma contribuição

O que se vem afirmando e desafirmando sobre o sistema de monitoramento pelas câmaras de vigilância da cidade tem despertado o interesse de vários setores da comunidade. E deve ser assim porque em relação a tal sistema se tem ouvido afirmações de "terra arrasada", como que pretendedo justificar certos gastos vultosos que poderiam justificar mais o desperdício de dinheiro público do que propriamente a eficiência necessária e desejada caso outras alternativas fossem estudadas e implantadas. Pois bem, para contribuir com este debate, publico abaixo a carta enviada pelo Sr. Sandro Neves aos Presidentes das entidades de classe local que se explica por si e, por certo, deve ter o devido eco para o debate na busca da melhor solução pública para o sistema de vigilância combinado com o melhor e equilibrado investimento. Escreveu aquele parecerista:

"Prezados presidentes das entidades representativas do comércio, indústria, segurança e outras.
Baseados na reportagem do jornal Semanário, edição de sábado, 11 de Junho de 2011, decidimos proporcionar algumas informações vitais para o entendimento da atual situação do videomonitoramento implantado no município de Bento Gonçalves.
O sistema implantado em Bento Gonçalves, com suas características estruturais e de equipamentos, é o mesmo implantado em mais de 50 municípios do estado do Rio Grande do Sul. A vida útil de uma plataforma de videomonitoramento nestes padrões, gira em torno de 20 anos, desde que sejam obedecidos alguns preceitos básicos de manutenção preventiva e corretiva.
A base de software de monitoramento instalada hoje, é de fácil atualização, onde algumas situações mencionadas como impossíveis de resolver, podem facilmente ser solucionadas, otimizando o sistema instalado hoje.
A base de hardware (Servidores e Estações), desde a implantação foi SUPER dimensionada visando a possível adição de câmeras ao sistema, faltando apenas a ampliação da capacidade de armazenagem de imagens (Autonomia de gravação), que é resolvida apenas agregando HD's (Discos Rígidos) de maior capacidade.
A base de captação de imagens (Câmeras), seria um dos pontos mais sensíveis de todo este sistema implantado, pois sua vida útil depende única e exclusivamente dos procedimentos de manutenção aplicados aos equipamentos.
* Câmeras Móveis de Alta Velocidade (Speed Domes), são equipamentos que contam com bastante tecnologia embarcada, onde utiliza-se recursos eletrônicos integrados à recursos mecânicos para prover o seu funcionamento, e estando estes equipamentos elétricamente alimentados 24 horas por dia, é imprescindível que haja uma rotina de manutenção preventiva que contemple a avaliação e proteção de todo o conjunto. Conjunto este que inicia no equipamento, passa pela infra estrutura de alimentação elétrica, transmissão de dados, configuração e digitalização das imagens na central de monitoramento. As câmeras instaladas estão fora do ar em virtude de um cabo óptico rompido, o que interrompe a transmissão de dados entre as câmeras e o servidor, não podemos afirmar que estas estão perdidas, com certeza algumas possuem sim a necessidade de manutenção específica, porém se restabelecida a transmissão através da fusão do cabo óptico, algumas câmeras já entrarão em operação normal.
Uma ferramenta como esta, de excelente funcionalidade ao policiamento ostensivo de nossa comunidade, custeado quase que em sua totalidade por entidades comprometidas com a comunidade Bento Gonçalvense não pode ser rotulada como obsoleta visto que é espelhada em projetos de outros municípios e que nestes, está em pleno funcionamento mesmo tendo sido implantadas anteriormente ao projeto de Bento Gonçalves.
Antes de ser definida a implantação de novos equipamentos, devemos SIM avaliar e colocar a plataforma existente para funcionar, pois estamos querendo aposentar uma ferramenta jovem em virtude do que "está por ser implantado".
Se não conseguimos manter em funcionamento uma plataforma de monitoramento com 9 câmeras que estariam em funcionamento até agora, se fossem aplicadas as corretas práticas de manutenção preventiva e corretiva, como manteremos 20 ou 266 câmeras que serão implantadas até o final deste projeto.
Nós comerciantes, entidades e comunidade em geral, somos responsáveis pela fiscalização destes investimentos e devemos exigir que estes sejam respeitados e não apenas "substituídos" por novas soluções.
Att.:
Sandro Neves"

PARA UNS TANTO, PARA OUTROS NADA

Tem dois professores que querem trazer um evento de apresentação competição sobre rodas (as pequeninhas) para Bento. Algumas escolas de outras cidades estariam aqui, sendo representadas por seus alunos e pais. Divulgariam a cidade, ajudariam a fomentar o negócio de hotelaria, restaurante, etc. Para isso só querem a cedência do Ginásio MUNICIPAL de Esportes. Nada mais do que dois dias. Conseguiram depois de muita insistência agendar um horário com o Prefeito mas, chegando lá, sua Excelência não estava, mesmo com o assunto tendo sido antecipado. Perderam a viagem. O tempo está passando, a enrolação aumentando e temem eles que, como no ano passado, depois de combinado uma coisa o Poder Público faça outra. Mais do que triste, lamentável. Mas ainda há tempo para conseguir a cedência, mas não muito. Vamos ver aonde isso vai terminar. Talvez se estivessem querendo pedir dinheiro público as coisas fossem mais rápidas e possíveis.

FALTAM 14 DIAS

Faltam 14 dias para terminar os dois contratos EMERGENCIAS firmados pela Prefeitura, em janeiro passado, com as duas empresas (ARKI ASSES. E SERV. LTDA e CCS SERVIÇOS TERCEIRIZADOS LTDA)que vieram para substituir a COMTAU. A desculpa para não haver licitação para dois contratos que chegam a quase R$ 3 milhões para 6 meses de atividade era a urgência da contratação, isso porque a COMTAU havia "desistido" de prestar o serviço terceirizado na última hora, não querendo renovar o contrato. Pois bem, será que 6 meses também não serão suficientes e a Prefeitura vai aditar o prazo daqueles dois contratos emergenciais. Espero estar errado, mas posto 9 contra 1 que tudo já está acertado neste sentido. Até porque, como divulguei aqui, estranhamente no mês passado a Prefeitura ADITOU o VALOR de um dos contratos (com a ARKI) em R$ 91.067,03 MENSAIS. Ou seja, o cheiro é de mais serviços e pagamentos sem licitação vindo por aí!

PARA ONDE VAI A M II

Depois do que aconteceu no caso da reforma dos banheiros da Walter Galassi onde não se previu a caixa coletora dos resíduos, agora sou informado de que no famoso (pelo seu valor e pelos problemas de construção) novo Centro de Atendimento ao Turista (junto a já futura mais famosa Pipa Pórtico) também teve o mesmo problema. Mas com uma diferença, a obra não está parada por causa disso. Ao invés disso, foi entregue com aquele monstro invetimento, e com o aditivo financeiro mais monstruoso ainda, sem que se instalasse a caixa coletora dos resíduos humanos. Ainda bem que o Prefeito e sua turma critica os antepassados e se caba de que até a Copa do Mundo Bento estará com 80% do tratamento de esgoto pronto. Pena que esta providência não começa com as obras públicas novas. Enquanto isso, com sempre, para as obras particulares...bem, para estas a cidade toda já sabe como as coisas estão funcionando.

quarta-feira, 8 de junho de 2011

COMO É POSSÍVEL?

Se alguém souber a resposta à pergunta a seguir eu gostaria de saber: Como é possível um empreendedor imobiliária estar vendendo lotes-casas populares em nossa cidade pelo programa minha casa minha vida, em área localizada na Zona de Proteção Permanente aos Mananciais, enquanto o processo administrativo de aprovação ou não do projeto está em andamento e, portanto, ainda não foi aprovado? Seria a certeza de que mesmo estando em local protegido haverá a liberação? E a lei que proibe a oferta à venda e a própria venda imobiliária de imóveis sem a devida aprovação e registro do projeto? E as pessoas que se inventarem de comprar, começando a pagar, o que se faz com elas depois caso o projeto não for aprovado para execução? Se alguém souber a resposta, por favor, me avisa. A minha, por enquanto, é uma: a certeza de que por aqui, em nossa rica cidade, em se dando tudo dá.

terça-feira, 7 de junho de 2011

PESQUISA? PESQUISA! POR QUANTO?

É noticiado hoje no nosso meio que a Prefeitura fez uma pequisa de "satisfação" através da empresa que venceu a licitação "publicitária" do município. Dois aspectos: 1º) o da legalidade: tenho dúvidas sobre a legalidade de se gastar dinheiro público para saber o que as pessoas pensam dos gestores (se é que foi isso mesmo o pesquisado, como vem agora a público); 2º) sobre o que foi divulgado: quem divulgou o resultado foi os que encomendaram a pesquisa, então, como saber o que dizem os resultados anotados? (lembro de duas pesquisas nas eleições passadas, tanto a Prefeito como a Deputado, que ficaram longe, muito longe do resultado divulgado); 3º) por que gastar dinheiro público para saber se as pessoas estão felizes em morar aqui: com perguntas do tipo "como você se sente com a vida que bem levando atualmente em Bento Gonçalves?"(75% estão satisfeitos); "se é melhor morar em Bento do que outra cidade" (45% preferem morar aqui); "você pensa em sair do município" (82% disseram que não) se quer chegar aonde? Isso é a pesquisa do macaco doido, nada mais, e paga com dinheiro público, o que é lastimável. O pior é que querem trasformar perguntas como essas como se indicasse "satisfação da população" com...com...com, com o que mesmo? Parece estar claro que o que interessava para os gestores, uma outra pesquisa, talvez com outros formulários, que podem também terem sido respondidos, como ouvi dizer que existe, está guardada a sete chaves. Esta é que eu gostaria de ver publicada!

VAI SOMANDO III

Hoje já temos mais uma contratação em torno da melhoria da Pipa Pórtico: R$ 25.250,00 para "lavagem e pintura", serviço que será feito também pela empresa Construmolde Empr. de Mão de Obra Ltda, que já tinha sido contratada para "melhoria nas calçadas e na vegetação". Então, vai somando, hoje então já está em R$ 549.477,82 o gasto com o "projeto Pipa Pórtico". Confira para não perder a conta:

1)"Confecção de duas placas publicitárias de uso institucional e eventos - Pipa Pórtico": R$ 48.221,58 (Empresa Gaúcha de Sinalização e Serviços Ltda);
2) "serviços de melhoria nas calçadas e na vegetação da Pipa Pórtico": R$ 72.476,50 (Construmolde Emp.de Mão de Obra Ltda);
3)"serviços de iluminação especial e elétrica na Pipa Pórtico":R$ 203.929,20 (Montebrás Montagens Elétricas Ltda);
4)"serviços de pavimentação asfáltica na Pipa Pórtico" pelo valor de R$ 199.600,54(Concresul Britagem Ltda);
5)"lavagem e pintura": R$ 25.250,00 (Construmolde Emp. de Mão de Obra Ltda)

segunda-feira, 6 de junho de 2011

RECORDAR É VIVER

Deu no Leouve de 12/1/2011: "Ao contrário do que aconteceu no ano passado, Bento Gonçalves não aparece no calendário oficial da Stock Car em 2011. No início de 2010 foi orçada a construção de uma pista de rua na cidade, no valor de R$ 5 milhões.
A prova não aconteceu em função da verba pedida ao Ministério dos Esportes não chegou a tempo. Por isso, ela foi prometida para 2011. Entretanto, quando o calendário oficial de provas foi divulgado para este ano, Bento Gonçalves não constava entre as 12 sedes. Apesar disso, o presidente da Associação bento-gonçalvense de Automobilismo, Beto Tansini, ainda está confiante na possibilidade de Bento sediar uma das 12 etapas. Mas ele ressalta que o poder de trazer a prova está na mão do prefeito Roberto Lunelli. "Isso aí está na mão do prefeito. Até o pessoal da Stock me ligou em novembro, porque eles souberam que a verba havia sido aprovada. Então eles me deixaram de responsável por entrar em contato assim que estivermos com a papelada toda e com todas as garantias em mãos", comentou. Neste momento, apenas duas datas são passíveis de troca no calendário da Stock Car. No dia 6 de junho, em Campo Grande e no dia 18 de setembro, em Santa Cruz do Sul. Apesar de a verba já ter sido liberada pelo Ministério dos Esportes, Tansini ainda é cauteloso na hora de confirmar a prova. "Até para não acontecer os acidentes de percurso. Ele (o prefeito) disse que tinha a verba, o pessoal da Stock Car veio para Bento por nada. Então está tudo na mão do prefeito. Assim que ele me der o ok vamos avisar a todos"
O prazo para a resposta final é a mesma do ano passado: 10 de março. "Acho que para março teremos uma definição. Estou esperando uma ligação do prefeito para que a gente possa sentar e resolver isso tudo". Em contato com o secretário de Esportes da cidade, José Gava, foi informado que apenas o prefeito fala sobre o assunto, no entanto, ele não foi encontrado para comentar sobre o assunto."
E para quem quiser completar o quadro hilariante, não deixe de ouvir a entrevista de Beto Tansini que reproduz bem o diz-que-me-diz e as peripécias públicas em torno do assunto que deixou de cabelo em pé até hoje gente muito séria do automobilismo. Para isso acesso o site Leouve e vá até as notícias do dia 12/1/11. Você não vai se arrepender.

VAI SOMANDO II

Ontem foi publicada mais uma contratação que envolve as melhorias na Pipa Pórtico. Agora sai a contratação da "Confecção de duas placas publicitárias de uso institucional e eventos - Pipa Pórtico" pelo valor de R$ 48.221,58 (aquelas que já estão não devem mais servir ou são insuficientes, talvez), tendo como fornecedor a Empresa Gaúcha de Sinalização e Serviços Ltda. Então, somando este por enquanto último aos três contratos anteriores dos últimos dias, o para "serviços de melhoria nas calçadas e na vegetação da Pipa Pórtico" pelo valor de R$ 72.476,50 (Construmolde Emp.de Mão de Obra Ltda), o para "serviços de iluminação especial e elétrica na Pipa Pórtico" pelo valor de R$ 203.929,20 (Montebrás Montagens Elétricas Ltda), e aquele para "serviços de pavimentação asfáltica na Pipa Pórtico" pelo valor de R$ 199.600,54(Concresul Britagem Ltda), tem-se agora o total de R$ 524.227,82. Vai somando que logo-logo vai chegar em R$ 1 milhão!

CONTRATOS, CONVÊNIOS E LICITAÇÕES DE 2 e 6/6/11



MAIS UM FORASTEIRO: QUEM, COMO, POR QUÊ?

Fui informado que a administração municipal "importou" mais um petista para preencher uma função na Secretaria da Fazenda. Depois de assumir como Secretário Olívio de Menezes (petista de Veranópolis), agora foi a vez de uma advogada e professora de história de Caxias do Sul. Função: ao que se sabe, assessorar diretamente a Comissão de Licitações, no lugar do concursado Dr. Luis Eduardo, que estava em tal função e que, ao que se sabe, vinha dando pareceres "desagradáveis" para os interesses de alguns, inclusive em discordância com a visão jurídica, em algum caso, da própria Procuradora Geral. Mas para além do fato da "importação" de mais um petista para nossa cidade, o que se quer saber é como, de que maneira, sob que suporte legal tal pessoa foi contratada. Segundo informações que recebi, como não havia mais disponibilidade de tal função como "CC", bem como pelas empresas terceirizadas que fornecem mão de obra não haveria previsão contratual de fornecer "advogado", ela taria sido contratada diretamente via contrato de prestação de serviço, SEM CONCORRÊNCIA, pela condição de "notório saber". O estranho é que, apesar de já estar exercendo a função a umas três semanas, ninguém viu a publicação da contratação. Então, como foi? Por que, se tem um concursado para fazer isso, o colocam de escanteio para trazer alguém nestas condições? E qual é a remuneração mensal desta profissional? Por que a publicação da sua contratação ainda não ocorreu? E se ocorreu, foi aonde? Quais os atributos profissionais para além dos que outros tantos da mesma profissão tem, mesmo por aqui, em Bento Gonçalves, para justificar a contratação por "notório saber". Mas se tudo isso não for assim, como sempre, a administração municipal pode ficar a vontade para me mandar os documentos que esclareçam tudo isso que coloco aqui suas justificativas. É que, desta vez, como estou cansado de pagar para receber informações oficiais e não recebo, não vou gastar dinheiro com isso.

sexta-feira, 3 de junho de 2011

EM BOA HORA

Em boa hora o Ministério Público intervem nas chamadas "multas de gabinete" que eram expedida em Bento contra os motoristas que não teriam pagado o estacionamento na zona azul. A informação trazida pelo jornal Serra Nossa em fls.10 da edição de hoje, 3/6, deve ser de conhecimento de todos. A prática era um verdadeiro absurdo e se constituía na possibilidade sempre premente de grandes distroções. Aliás, na mesma reportagem, o Sr. Sidgrei Spassini coloca bem também a respeito da irregularidade da cobrança de uma "taxa" para evitar a multa. Vale a pena conferir e ficar por dentro para ver aquele forma de multar vai parar mesmo.

DINHEIRO PARA QUEM? E POR QUE MESMO?

Confesso que não entendi a estranha informação trazida pela Secretaria da Cultura e da Casa das Artes na reportagem publicada hoje o jornal Serra Nossa de hoje, 3/6, na página 6, sobre "DINHEIRO PARA QUEM É DE BENTO". Segundo a reportagem, o Sr. Secretário da Cultura teria informado que "os artistas que não residirem no município ainda poderão encaminhar projetos e concorrer a repasses, mas o grupo deverá definir uma porcentagem para pessoas de fora". O motivo seria o de que "o valor [dos repasses de verbas] será delimitado mais adiante", já que, diz o Secretário, "não podemos correr o risco de descriminar ninguém". Mas então estamos distribuindo dinheiro público agora também para artistas de fora da cidade? E não dar dinheiro público para quem não é de Bento (pressuponho que signifique isso não morar aqui, não ter atividades aqui, não ter raízes aqui, etc) seria "descriminar" alguém? (Veja-se que não se está falando de contratar alguma obra, alguma apresentação, mas sim em doar dinheiro público para algum "projeto"). Se alguém puder explicar isso melhor acho que todos nós ficariamos mais satisfeitos.